quarta-feira, 15 de abril de 2009

será que é suficiente?

Será, que o mundo chega? Temo que não; é inevitável. Passo pelas ruas, distante e vazia; simplesmente existo por uns momentos, e observo. Consigo apenas desfocar a triste e silenciosa expressão no rosto de cada criança; é triste, só. E não me conformo com o que assisto; não quero, em vez alguma, ter de aceitar o nó que se forma na minha garganta sempre que alguém fica às escuras e não é capaz de tocar no interruptor. É triste, só. Por um minuto, eu penso mais profundo; um dia, talvez possamos partilhar a mesma lâmpada; quiçá. Aí, todos iremos pernoitar sob o mesmo céu, sob as mesmas estrelas; pensar mais nos outros e aprender a partilhar-nos. Mas quando? Será, que um dia, o mundo chega?

2 comentários:

Margarida disse...

chega : D

Ruben disse...

Esta muito bonito su. sera que sim? é possivel. Este texto é assim um bocado a mostrar o bom coração :P