sábado, 12 de dezembro de 2009

i have autority issues

é horrível, quando a única coisa que consegues ver, são famílias que até funcionam. o meu pai comprou-me isto, eu e a minha mãe hoje tivemos um dia em cheio, oh como gosto de viver em casa, nunca vou sair debaixo das saias dela, sabes? é dark and twisty, quando nos apercebemos que a nossa capacidade de lutar por qualquer coisa, se torna tão pequenina sem termos um braço para puxar. e porque é que não podemos passar do limite? se calhar nunca o fizeram, quando eram da nossa idade, tão idiotas como nós. mas a culpa é vossa, vocês é que me educaram assim. porque é que nos temos de resignar e aceitar a maneira como crescemos, em vez de combater todo esse mau hábito, o de deixar andar a coisa? é díficil, viver sem o que nos aconchega, e sem o que nos deu carinho toda a vida, para agora nos largar a mão no meio do jardim, onde tudo é feio. oh, de certeza que a tua vida não é assim tão má, a minha não é tanto, então a minha, não tem nada disso pelo meio! mas no fim do dia, porque é que tive de ser eu a mais forte, e a única a segurar as lágrimas dentro do olho, de joelhos no cacifo, para não as deixar correr pelas más linguas da escola, que de certeza, não me iam lamber as feridas? é certo, que sem a raíz, nada consegue crescer bem, e eu, que consegui ir semeando a minha por aí, agora não me consigo ver como mais que uma miúda, uma qualquer, sem mentalidade de senhora - sem objectivos definidos, a brincar com tudo para parecer bem.

se alguém sabe como não desistir, sou eu.

3 comentários:

Joana disse...

"porque é que tive de ser eu a mais forte, e a única a segurar as lágrimas dentro do olho, de joelhos no cacifo, para não as deixar correr pelas más linguas da escola, que de certeza, não me iam lamber as feridas?"

quando quiseres sentamo-nos as duas de joelhos no cacifo, deitadas no chão daquela casa de banho imunda ou até dormimos dentro do cacifo. o que tu mereces não tem fim , não tens de ser sempre forte, muito menos sozinha :)

ti em mim disse...

forte é a tua escrita! e envolvente também!

Mariana disse...

"é díficil, viver sem o que nos aconchega, e sem o que nos deu carinho toda a vida, para agora nos largar a mão no meio do jardim, onde tudo é feio"

perfeito,parabéns*