domingo, 23 de janeiro de 2011

amor à ursa

mal acorda, toda rezingona, a minha cadela começa por me encher a mão de beijos embeiçados, na sua doçura enternecida, como se o seu propósito no mundo fosse amar-me perdidamente. depois passa, devagarinho, as patas por cima dos meu braços e pula ao meu redor. vai-se sentindo cada vez mais segura, cada vez mais confiante. e enrola a brincadeira, que se baseia nisto durante uns escassos cinco minutos. até que a brandura se transforma numa grandessíssima excitação, e tudo o que vejo são os dentes a emergir daquela cara gulosa e meiga, como se de um grande e feroz monstro se tratasse. depois, quando tento afugentá-la pela milésima vez, chega o tempo de me mostrar as unhas, dando-me a provar os suaves (ou não) toques que elas podem proporcionar. já pensei em cortar-lhe as garras, sempre é menos um arranhão no final do dia. mas quanto às dentadas, acho que vou ter de continuar a aceitar estes afectos grosseiros, tão intensos. afinal, dar é sempre dar e amor é sempre amor.

4 comentários:

Lady Me disse...

Ahaha! Adoro isso! :)

Danii disse...

Aí está uma grande verdade!
Ahah, que amor. A minha gata (a mais nova) também é assim, há uma hora do dia em que parece completamente apaixonada por mim e só me dá beijinhos, e outras em que é uma fera. Também lhe corto as unhas, mas como dizes, não podemos fazer nada quando aos dentes dos bichinhos :p

anne disse...

Que lindo.
A minha lassie também é assim.
Este texto está tão ternurento :)

Obrigada pelas palavras carinhosas :)

raio de sol disse...

que mimo!