domingo, 2 de janeiro de 2011

das passagens

Desde a meia-noite de dia 31, pouca coisa mudou. A Sandra ganhou os Ìdolos (e foi muito bem merecido), o António a Casa dos Segredos (agora é a parte em que todos fingem estar surpreendidos). Os preços aumentaram. O dia 1 amanheceu lindo e solarengo, daqueles que deixam uma pessoa logo bem-disposta. Comi as tradicionais doze passas antes da hora, bem enganada pela rádio (que decidiu fazer a contagem dois minutos antes do tempo), mas lá foi a dúzia de desejos para o além, com a esperança de que alguém oiça e um grande milagre aconteça na Terra. Vivi os primeiros dias do ano com a pessoa mais importante, e sei desde já que foi um dos bons momentos dos doze meses que começam agora a contar. Nunca ouvi tanta música em tão pouco tempo. Nunca acordei a ouvir música pimba. Nunca me deitei a ouvir música pimba. Nunca cheirei tanto a fumo da lareira. Nunca adormeci a ouvir os chocalhos da lenha de duas fogueiras. Nunca comi tanto num fim-de-semana só. Não me lembro de jogar cinco jogos diferentes numa tarde. Nunca tinha ganho no bingo. Nunca tinha almoçado às cinco, nem jantado às onze. Não me recordo de alguma vez não ter usado amaciador no cabelo. Tanta coisa nova, e foram só dois dias. Será isto um presságio do resto do ano? Esperemos muito bem que sim.

1 comentário:

Danii disse...

Se já fizeste tanta coisa nova em 2 dias, imagino no resto do ano :o espero que tenhas muita sorte :)