quarta-feira, 27 de abril de 2011

tenho saudades

de Espanha. de dormir no autocarro. de ouvir uma multidão à minha volta. de conviver sempre com as mesmas pessoas durante dez dias, apesar de ser uma tarefa difícil. de desfazer as malas. de trocar roupas. de adormecer à tarde. de ouvir música durante o banho. de andar sempre de toalha na mão. da pele dourada ao fim do dia. de tardes na piscina. de água fria. de saltos proibidos. do bar feito de gelo. das frases mais marcantes. de chegar às seis da manhã. de dançar como se não existisse manhã. de dormir uma hora antes do pequeno-almoço. de não conseguir mastigar as panquecas com doce de morango. de adormecer às oito na piscina e de acordar às onze. tenho saudades de cair de sono. de escolher mil e uma mudas de roupa antes de sair, para levar a primeira. de maquilhagens. de percorrer todas as pequenas lojas das ruas. de trazer coisas emprestadas. de procurar souvenirs. de não gostar da comida do hotel. de passar à frente na fila do jantar. de repetir sempre as mesmas frases. de saltar em cima das camas, só porque não eram minhas. de ligar para outros quartos. dos megafones. do bronzeador. dos gritos nos meus ouvidos. da música do segundo dia. de não ter tempo para tirar fotografias. de não ver televisão durante uma semana. do grupo. das saídas juntos. das compras. de contar novidades a quem cá ficou. de fazer os outros esperar. de cantar muito alto, quando ninguém ouvia. de fotografias juntos. da condutora do autocarro. dos bikinis. do sol ao fim da tarde. do amanhecer. das montanhas-russas. do frio na barriga. do medo à flor da pele. de andar pela primeira vez nos karts. de andar com a rédea solta. da liberdade. da cumplicidade. das mega fatias de pizza. dos calções. de não usar nem metade da roupa que levei. de usar batom vermelho, sentir-me poderosa. de dar beijinhos vermelhos. do vento fresco à noite. dos vernizes diferentes todos os dias. de não pensar uma vez que fosse em trabalho ou na escola. de saber as minhas notas maravilhosas. de passear pela marina. de fugir das pistolas. de falar pelas varandas. tenho saudades de tudo. e ainda não é desta que há fotografias - ainda não estou pronta para (re)viver tanta coisa que sei que não se vai repetir. hajam mais viagens destas, que é disto que a gente precisa.

2 comentários:

Cheerio disse...

É assim que eu espero que o meu Verão seja *.*

Nokas disse...

Fantástico!