quinta-feira, 16 de junho de 2011

qualquer dia

dou cabo da vida financeira da minha avó, por cada vez que lá vou. tudo graças aos cinco pequenos gatos que decidiram acampar à janela dela, e que me lançam os maiores e mais brilhantes olhos que conseguem. de modos que fico assim, toda cheia de pena deles e embeiçada por trazê-los para casa. mas visto que isso não vai ser possível, contento-me e consolo-me ao dar-lhes toda a comida que encontro pela cozinha - sempre me enche o coração saber que posso fazer alguma coisa por aquelas pobres criaturas. é assim que se habituam mal os pequenos bichos, visto que agora são presença assídua à hora de jantar. quem não acha muita graça à minha ideia é a querida avó - mas avó, e os olhos deles? o que é que se faz quando somos olhados assim?

4 comentários:

Abby Richter disse...

detesto gatos :x

Danii disse...

ahah, é verdade, quando aqueles olhares chegam ao nosso coração, não há nada que nos impeça de fazermos o que eles querem $:

Mariana disse...

Adoro gatinhos*.* oh, sim aqueles olhos queridos quando olham para nós é uma ternura*.*

Rita disse...

Sou exactamente assim!