sábado, 20 de agosto de 2011

life it's about experiences #4



existia um Baobab em cada esquina













por aqui, 15 Euros pode ser pouco, mas para eles é muito


perfeito para um verdadeiro safari na selva
mais um dia na selva africana, em que acordei (ainda enjoada do dia anterior, não comi nada ao jantar nem mesmo ao pequeno-almoço) bem cedo para me lançar a mais uma excursão (desta vez num jipe decente e com um guia que falava espanhol). seguimos em direcção a Sine Saloum com as expectativas muito abaixo do que as que trazíamos no dia anterior, tal era o medo de encontrar coisas piores que Mbour (a cidade que descrevi ontem). a viagem demorou cerca de uma hora, com muitos solavancos, pó por todos os lados (estraguei a t-shirt que mais adorava, de tão castanha que estava no fim deste dia) e muito, mas muito, calor. antes de visitar o destino planeado (as tribos - no verdadeiro sentido da palavra), parámos numa pequena cidade, com o intuito de comprar alguns bens essenciais para oferecer aos elementos que lá habitavam - uma forma de agradecer a visita que ali iriamos fazer. quando parámos na primeira - de duas - tribo fui logo assaltada por uma dúzia de crianças (ali, a média de filhos que cada mãe tem são 6), que lutavam afincadamente para ver quem seria o primeiro a receber guloseimas e a ser fotografado pela minha objectiva. a primeira coisa em que reparei, foi no facto de que estas crianças vivem naquele sítio, no meio do nada, em nenhures e, ainda assim, esboçavam um sorriso mais carregado que muita gente. ora pulavam, ora corriam, ora me chamavam para disparar mais uma vez o flash sobre as suas caras ternurentas, sobre os seus olhos esperançosos. visitei as "casas" deles, vi as camas no chão, vi que por ali faltava sempre luz (no Senegal falta a luz durante cerca de dez horas por dia, mas ali nem um minuto têm de electricidade - daí o facto de termos oferecido velas), vi a cozinha comunitária, assisti ao trabalho estafante das mulheres (que moíam couscous durante grande parte do seu dia, e ainda olhavam pelos mais pequenos). deixei que me vestissem com os seu trajes típicos, aprendi a dança que praticam habitualmente, senti o amor presente naquele seio familiar tão grande, experimentei um bocadinho da felicidade deles - aquela que não implica ter nada - na minha pele, mas mais importante: pude contemplar a felicidade de todos os que, em redor do grande alguidar com oferendas, agradeciam com o sorriso mais rasgado que se pode ter, e isso não tem comparação ou preço. tirei milhões de fotografias, aproveitei cada contacto com eles, cada laivo de carinho que recebia daquele lugar. foi difícil deixá-los sem pensar no interminável número de maneiras que existiam de remediar tudo aquilo, de lhes oferecer uma vida melhor, com condições básicas para a sobrevivência. mas rapidamente percebi que assim, se tudo possuíssem, se habitassem num lugar que não aquele, mesmo que apenas se mudassem para a cidade ao lado, não agradeceriam da mesma maneira, os seus sorrisos não ocupavam metade das suas caras, os olhos não emanavam tanto brilho - porque viver ali é uma escolha deles, é o que representa aquilo em que acreditam e... eu não podia mexer com a vontade de quem já descobriu a solução para os problemas, o atalho para a felicidade, a sabedoria para conhecer a regra de que ser feliz está no caminho que percorremos. dormi muito mais serenamente nessa noite, agradeci ainda com mais força até já não conseguir mais - e prometi-me que ia aprender a rasgar sorrisos como aquelas pessoas rasgam os problemas e os jogam para fora das suas vidas.

9 comentários:

Rita disse...

É a forma que se arranja em repararmos que a vida é tão frágil e que nós, paises desenvolvidos, em crise e problemas economicos, ainda temos o básico e mais que o básico para vivermos.

anna disse...

deve ser realmente fantastico estar em africa :o

sigo o blog*

» ana almeiida disse...

de nada segue o meu tambem se quiseres *.*

mari disse...

amazing ...

Palco do tempo disse...

deve estar a ser brutal :)

Danii disse...

amei!
como adorava visitar um sítio desses $:

trintona disse...

Adorei as fotos! :)

Carlota Siéva disse...

que experiência fabulosa deves ter tido, tenho uma pontinha de inveja (boa inveja) neste momento :p

Bid disse...

Assim que vi a fotografia do baobab, "SENEGAL!!!". Também lá fui este mês e adorei! Claro que fui ler os restantes posts sobre a tua viagem e achei engraçado, foi bom ver a perspectiva de outra pessoa de um local que me disse tanto. Vais colocar mais fotos e fazer mais posts? =)