terça-feira, 8 de novembro de 2011

numa das conversas da tarde

302259_1852562128741_1681437739_1299780_1356372496_n_large
falava-se sobre a frontalidade. ser ou não ser frontal? saber, ou não, o que é ser frontal (que há quem pense que frontalidade é má educação)? e descobri que me consideram uma pessoa assim, que diz tudo o que lhe passa pela cabeça - umas vezes sai em demasia - e que não perde a oportunidade para dizer o que é preciso (isto tudo dito por pessoas que me conhecem há coisa de dois meses). e é aqui que tenho de discordar, porque não me acho (muito, vá) uma pessoa sempre frontal. sou capaz de dizer tudo sem problemas (as críticas são muito mais rápidas a sair da minha boca que os elogios), de falar com as pessoas quando existem assuntos que me provocam uma certa confusão, mas sinto que nunca digo tudo o que penso, talvez porque goste de me conter (ainda que muitas vezes não consiga) ou porque me sinta uma super-perfeccionista, que só deixa lisonjeado quem realmente merece. eu cá acho que se deve falar tudo o que deve ser falado, criticar tudo o que deve ser criticado e deixar de acumular os assuntos para mais tarde se dizer o que já devia ter sido dito. e claro, elogiar pouco (mas um pouco assim a dar para o grande) e bem, porque mandar bitaites todos conseguimos (talvez daí esconda muitas das minhas opiniões) - o que é difícil é ser capaz de usar uma critica construtiva e ao mesmo tempo directa, um elogio recatado mas fabuloso. [isto tudo sempre, sempre com classe.]

2 comentários:

Green disse...

Eu acho que a frontalidade é uma mais valia, e se todos fossemos um pouco frontais, éramos bem mais sinceros uns com os outros.

Lady C disse...

Aqui está outra coisa em que somos iguais! Também sou assim como tu, critico muito mais (quase sempre em tom de brincadeira mas a falar a serio) do que elogio (coisa que as pessoas até ficam admiradas quando acontece). E acho que se temos alguma coisa para dizer é dizer logo em vez de andar a remoer ou a falar sobre isso com outras pessoas quando podemos e devemos falar com a pessoa em questão. Outra coisa que faço, e isso sei que irrita os outros, mas que nao consigo evitar, é o andar a corrigir a gramática quando alguém diz alguma coisa mal... (e isso no fundo também é ser frontal: "não é assim que se diz").