domingo, 5 de fevereiro de 2012

what if?

"Espero que nunca encontres o amor, e sejas velha e que não tenhas nada mais do que as tuas séries, maquilhagens, roupas, as tuas amigas, e mais importante, que vivas arrependida."

apesar de nunca acreditar muito no que as pessoas deitam pela boca (sim, que aquilo nem se chama falar) durante as discussões, fica sempre aquela réstia de qualquer coisa dentro de mim que pensa: será que o que dizem é verdade? e hoje, enquanto via este filme no cinema, todo um conjunto de imaginações deprimentes pairaram na minha cabeça. e se eu for como aquela mulher, uma doida varrida que fica sozinha? e se eu nunca ultrapassar a fase de ser jovem, se eu nunca crescer? se não tiver a capacidade de praticar o desapego, de amadurecer e de conquistar a vida que eu sempre quis? e se a pessoa que marcou a minha adolescência se sai melhor do que eu, e me apelida de louca em frente a toda a gente? depois de tantas voltas que a minha cabeça deu, de ter fechado os olhos porque nem queria ver um dos meus possíveis futuros e de ficar triste por aquela pobre alma que deambulava no filme sem fazer nada da vida dela, o fim chegou e com ele veio uma frase que de imediato limpou todas as dúvidas do meu coração "... ela era uma pessoa que tinha perdido muito tempo com o passado, mas agora estava pronta. Pronta para sair e para o futuro que a esperava. Pronta para a vida.". é que só me cabe a mim fazer com que tudo valha a pena - e dê certo. para que nunca perca a vida que (ainda) me espera.

6 comentários:

Secret disse...

Gostei*

mari disse...

cruzes canhoto ... claaaro que vais encontrar o amor ... :)
**

Karine disse...

Me da uma ajudinha, se puder é claro!
votar aqui:
http://bnascimentooo.blogspot.com/
Na barra lateral, em DREAMER...
Ficaria muito grata, Deus abençoe sua vida!

Mia disse...

bonito!

http://pegadafeminina.blogspot.com/

Mariana disse...

*.* não podemos ter medo de continuar. Mesmo que algo seja deixado para trás, há muitos caminhos para seguir em frente:)

Green disse...

E foi a melhor conclusão que podia ter tido.