terça-feira, 27 de março de 2012

se há coisa

que tenho concluído durante as últimas semanas, pelo que tem acontecido, é que não posso querer ter uma vida parecida à de ninguém - quer no bem, quer no mal - porque nunca vou ter as mesmas circunstâncias que o resto das pessoas no mundo. o que é o meu normal, não é o normal delas. e cada um tem que ser feliz (ou pelo menos tentar) com o que tem, neste momento, aqui e agora. não com o que poderia ter ou com as expectativas dos contornos que a vida um dia pode vir a tomar. e apesar de não me contentar com tudo, querer sempre mais e melhor, também já sei compreender quando é que me posso comparar aos outros, analisar as situações que me rodeiam (só a mim) e viver de acordo com isso. aceitar ou resignar-me. escolher, trabalhar só com o que tenho. desenhar no meu bloco, sem os lápis que não me pertencem.

[estou a crescer tanto, com tudo]

7 comentários:

AvoGI disse...

viver a vida dos outros não é saudável, temos de viver a nossa mesmo que nao seja a perfeita
kis :=)

Nokas disse...

Só tens que ser tu própria :)

Lady C disse...

Ahah, muito obrigada. (olha que passei toda a tarde a pensar no assunto e cheguei à conclusão que todos temos um bocadinho de ridículo e ainda bem) :)

Lady C disse...

Concordo plenamente contigo, é assim mesmo que tem que ser. Não nos podemos comparar a nada nem a ninguém, principalmente porque todos temos circunstancias de vida diferentes e só isso muda muita coisa...

Green disse...

Isso é tão bom.

LopesCa disse...

Verdade :)

Danii disse...

tens toda a razão!
(não tenho vindo muito aqui, tenho de pôr a leitura em dia :p)