segunda-feira, 14 de março de 2011

faz bem a tudo

antes preferia ficar em casa, ajeitar-me no sofá com umas quantas almofadas, carregar no botão do comando e fazer companhia à televisão ou, quem sabe, estender-me até à mesa de centro e pegar num livro. gostava do quieto, do tranquilo - mais pacífico, melhor. e ainda me agrada a calma do lar, o recolher da noite e o leite morno antes de dormir: nada me rouba a serenidade quando mais preciso, a não ser a minha cadela. o que se sucede é que agora, todas as noites, levanto o bem dito rabo do assento, afasto as almofadas para bem longe, comando da televisão nem vê-lo - é pegar na trela (que eu tenho um medo de morte de soltá-la) e arredar porta fora. ela bem precisa, para acalmar os ânimos e libertar aquelas joviais energias, e eu agradeço o quanto isto me estimula a correr um bocadinho (porque até ao ginásio já ninguém me arrasta, fica para uma próxima), a queimar aqueles pecados que prometi não cometer (juro, aquele bolo era irresistível), a acabar o dia de maneira mais saudável. aquele pequeno animalesco, de tanto que corre, quase me obriga a voar; caso contrário corta-se-lhe o ar. e é desta maneira que chego a casa a transpirar, de cansada que estou. o meu rabo agradece, perdoem-me a expressão. e agora o calmo, o pacífico, o sofá (tão promissor) e todas essas palavras de paz, podem perfeitamente esperar - é assim que se combate a inércia.

4 comentários:

Catarina Silva disse...

eu agora nem tempo pra estar no sofá tenho, quanto mais ir pro ginásio! tens sorte :)

Rita disse...

Estou a ver que o truque é ter um cão. Fazes tu muito bem. *

trintona disse...

E quando vier o bom tempo, ainda te vai saber melhor!

Danii disse...

Também tenho de arranjar um cão então :o