segunda-feira, 14 de março de 2011

é disto que sou feita

se há coisa que eu gosto de ser, é prevenida. a minha mala vive cheia de coisas perfeitamente indispensáveis para o dia-a-dia mas que, por via das dúvidas, viajam sempre comigo. quando chove é raro, muito raro, deitar a mão à bolsa e não tirar de lá um guarda-chuva; nunca ninguém precisou de procurar uma caneta quando me tem ao lado; passei a levar um pequeno pacote de lenços (já tenho um em cada mala que está no armário, só para o caso de mudar de ideias de um minuto para o outro) num dos mil compartimentos que tenho na mala. já dizia o ditado que mulher prevenida vale por duas, e hoje, enquanto me passeava confortavelmente debaixo do meu mini-chapéu, sob um tecto de chuva agressiva, pensei para os meus botões que está fora de causa abandonar esta minha atitude prudente - porque sabe sempre bem ter à mão tudo o que se carece, nas ocasiões mais imprevistas. e é por isto que a mim não se adaptam aquelas malitas, onde não cabe a mais pequena coisa para além do essencial - que, com uma pitada de sorte, pode ser tudo o que precisamos para o dia que começa.

17 comentários:

Ana Gonçalves disse...

Só eu ando sempre á chuva, tenho de optar por isso também :P

J disse...

Eu também sou assim :)

Ana Gonçalves disse...

Mas para já também não ando de mala, e a pasta já pesa muito xD

Cheerio disse...

Eu também sou um bocado assim. Às vezes as coisas não me cabem todas na mala e eu pergunto: mas porque raio é que fui comprar uma coisa tão pequena? x)
E quando era mais nova, não saía de casa sem um livro ou um bloco de desenho, para o caso de ficar aborrecida ou sem nada para fazer =P

Rita disse...

Tenho sempre tudo à mão. "Mulher prevenida vale por duas".

Ana Gonçalves disse...

Mas quando tiver uma carteirinha suspeito que também vá ser assim, e andar sempre na rua bem preparada xD

Anaitsir disse...

Sempre tive essa mesma fobia, mas de um modo diferente, sempre quis ser a melhor e fui, não sou convencida, quando quero, sou a melhor, sempre, nunca me mostraram qualquer tipo de orgulho por isso, e, cada erro que fazia era o fim do mundo, todos mo apontavam, ridícula, uma falhada, era o que me sentia. Então desde pequena que tenho a fobia de nao ser boa o suficiente, mas, agora estou a diminui-la, as vezes só é preciso sermos bons para nós.

Mas falando no teu post, tenho uma coisa a dizer, ás vezes, é melhor andar á chuva, e deixar a água que corre por ti, levar tudo de mau, ficar molhada mas feliz, do que ficar seca e confortável, mas deprimida.

Manganet disse...

Também não sou muito fã, mas aquele cheirinho mesmo antes do jantar... ui ui :p

ana cristina disse...

eu tambem tenho esse problema :/

Danii disse...

Agora queria (tentar) pôr um laçinho na que tem mais pêlo, mas dúvido que seja possível. Não é não conseguir, é que pelo menos uma delas anda sempre de um lado para o outro e de noite, é uma barulheira :p

Lady C disse...

Este post fez-me lembrar uma personagem de um livro que li há uns tempos, a senhora tinha um dom que era vir-lhe à cabeça um objecto e ter que o entregar a uma pessoa porque sabia que ela ia precisar, daí a uma hora ou daí a um mês. Tinha a casa cheia de coisas, desde lençóis, barras de chocolate a varinhas mágicas, porque não tinha paciência para ir comprar essas coisas quando sabia que iam ser precisas, assim já tinha tudo sempre à mão. És parecida nisso :)

Lady C disse...

É esse livro sim! E sei que não te vêm coisas à cabeça, mas já andas prevenida e ao ler o post lembrei-me. Achei imensa piada àquela personagem :)

Lady C disse...

Também o li num instantinho e adorei :) Também leste o quarto mágico?

mari disse...

eu sou mais a mulher desprevenida, raramente penso em avanço :)*

Lady C disse...

Eu li antes do jardim Encantado e gostei bastante, se quiseres empresto-te, posso dar ou Daniel ou assim.

Lady C disse...

Amanhã já to levo:)

trintona disse...

Eu também tento ser assim, prevenida. A carteira chega a pesar quilos, mas tem sempre tudo o que preciso, e os outros também!